Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

domingo, 29 de novembro de 2015

ANGOLA


Saúdo a ti, ó Luanda bela, Angola,
tu me cativas, mesmo tão distante!
Tu falas minha língua, a cada instante
e vibras como as cordas da viola!

Teu povo alegre encanta e te consola
nas danças e na música vibrante,
nas cores da bandeira tremulante,
altiva, lá no topo, em cada escola!

O verde que tu ostentas na floresta
faz parte do pulmão que ao mundo resta,
que, aos poucos, o homem mal quer destruir...

Teu povo é forte, eu sei, não foge à luta;
jamais sucumbirá à força bruta!
− Que grande sejas tu e teu porvir!

RATOS PALACIANOS


É triste ver ser humano
Ser 'feliz' por ser ladrão!
Viver à custa do engano,
Agir por baixo do pano,
Comprar votos na eleição...
É por demais desprezível,
É uma tristeza indizível...
Legislar em causa própria,
Ter uma conduta imprópria
E viver da corrupção!

Não lhe importa causar dano
Diz vir com ‘boa intenção’;
É rato palaciano,
Que rói e diz fazer plano
Para ajudar a nação!
Todos foram bem nascidos,
Mas talhados pra bandidos,
Cujo mal a mão semeia!
Só tem um jeito: Cadeia!
...Que cumpram lá na prisão!