Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

sábado, 26 de novembro de 2011

MORTA ILUSÃO

Despenca acabrunhada a ilusão,
Na fuga do infortúnio que a persegue!
O mundo a lhe mostrar a face entregue
É um lume a clarear sua razão...

O túnel que se fecha à sua frente
Não cabe o que não é de seu costume.
Na escuridão, é tênue a luz do lume...
Abate-se a ilusão sofregamente...

Vislumbra a esperança, à vez primeira,
Mas, ríspida, uma escarpa aponta e corta!
Morta, a ilusão despenca na ladeira!

Cerrando-se a janela e a estreita porta,
Despede-se da vida derradeira...
Cerra-se o túnel... Já é ilusão morta!

Leave your comments
Deixe seu comentário