Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

JOGO RÁPIDO


Não cala a voz do bêbado na esquina,
Ao desabafo infame apregoado;
Não cala o vagabundo em sua sina,
Na luta por um bem aquinhoado;

Não cala a boca livre no pecado,
Que a vida torpe abraça e lhe fascina...
É a trupe que o ditame determina,
Nos atos do agora ou do passado!

Mas, cruel, a insipidez do mau costume
Oculta-se em disfarce de perfume,
Ao despojar da vida o seu valor...

Desfere o golpe liso do seu gume
E faz calar a voz que sente a dor
...Na escuridão do leito, sem um lume!


quinta-feira, 4 de setembro de 2014

PRIMA-DONA


Nas vezes que eu te vejo me demoro
A apreciar de ti toda a beleza!
O tempo passa célere e eu ignoro
E fico a navegar em tua leveza...

Tua voz de prima-dona e ar de princesa
Ressoa como o canto mais sonoro,
Arranca-me arrepio em cada poro,
No arroubo da elegância e da destreza!

Ó bela imaginária dos meus sonhos,
Figura quase etérea a me seguir,
Trazes pra mim os sonhos mais bisonhos!

A cada gesto teu a me curtir,
Acabo-me nos lábios teus  ̶  risonhos  ̶
E acordo a procurar-te no existir!...