Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

quinta-feira, 7 de junho de 2012

ANITA













Anita andava solta na floresta...
Era u’a floresta feita de papel...
Anita deslumbrava-se na festa,
No vento que zoava qual tropel!

Sentou-se a pintar com seu pincel
Em uma tela simples e modesta...
Lá do alto o Sol mandava numa fresta
Doirados beijos, puros, de um donzel!

Anita, seduzida, foi-se embora...
Deixou meu coração que ainda chora
Perdido na floresta de papel...

Não há réstia de luz, nem sol lá fora...
Ficou o pincel e a tela onde, agora,
Descrevo no meu verso a dor cruel!

Leave your comments
Deixe seu comentário