Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

sábado, 7 de abril de 2012

RESSOA O GRITO ROUCO












Brame em voz rouca o grito amedrontado, ao corte,
Na voz que ecoa longe, além dos quatro cantos,
Ao tilintar do ferro em braço muito forte
E a natureza chora em tantos, tantos prantos...

O homem pouco a pouco avança, mata encantos...
Ressoa o grito rouco, estremecendo o norte,
É lá que, dessa vez, o desespero e a morte
Vão rasgando da terra os velhos verdes mantos!

Quando parar com isso? Alguém me diga agora...
Não há mais compromisso ao replantio afora,
Graças à impunidade, impera a destruição!

Pede socorro a mata... A lei sempre demora...
Cresce a descrença com nosso país lá fora...
Morre aqui dentro em nós nosso próprio pulmão!

Leave your comments
Deixe seu comentário