Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

segunda-feira, 30 de abril de 2012

CAVALO FERIDO (Galope à beira-mar)













Sofreu meu cavalo um golpe na pata!
Bateu a tristeza, talvez decepção...
Levou-lhe a certeza, deixou ilusão...
Tal dor magoada já aos poucos lhe mata!
Que venha o milagre que tudo arrebata
Curar meu cavalo, ajudá-lo a andar!
Talvez haja tempo de tudo salvar,
Pois quero levá-lo às plagas serenas,
Quem sabe sentir o cheirar de açucenas,
Poder galopar lá na beira do mar...

Ferida essa pata, ele sofre calado...
Não foi ensinado ao relincho da dor...
Foi sempre treinado ao perfume da flor!
Agora seu dorso não está mais selado...
Eu torço pra vê-lo de vez bem curado,
Ser quase como antes, poder galopar,
Sem dores, mazelas, sem medo de andar,
Sentir-se outra vez destemido e feliz,
Das matas às praias sentir o matiz
... Poder galopar lá na beira do mar!

Leave your comments
Deixe seu comentário