Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

CACATUA

Ressente-se, nefasto, o ego humano,
Em ríspida abordagem que cultua,
Sem mínima elegância perpetua
... O verso do reverso desumano!

Espicha-se, implacável, clara e nua,
A mórbida tendência ao desengano;
Ausenta-se, furtiva, do seu plano;
Despede-se num vôo de cacatua

E, inglória, a testemunha arde em brasis!...
Quereis viver nos píncaros da glória,
A qualquer custo entrar para a história,

Num surto de atitudes tão pueris?!
Buscai – humilde – ó servo da vanglória,
O que dentro de vós não mais sentis...

Leave your comments
Deixe seu comentário