Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

domingo, 18 de setembro de 2011

ASSASSINOS DA NATUREZA













Vento soprava com rajadas breves,
A deslizar na direção do sul.
Era um soprar que, na minh’alma leve,
Formava ondas, qual num lago azul...

Aquela fina sensação surpresa
Tocava as folhas, embalava os ramos
E me embalava com gentil nobreza,
Como um sussurro a me dizer ‘te amo!’
............................................................
A realidade fez-me olhar em volta,
Galhos caídos verdejando o chão...
E muitos homens, motosserra à mão!

Brutal surpresa! Vomitei revolta!
Mais de uma vez eu enfrentei a escolta...
Fora, assassinos!... Gritei muito... Em vão!...

sábado, 17 de setembro de 2011

RETÃO DE RESENDE












Cortaram árvores, matara’o verde!
Caíram vivas sob o olhar do Minc,
Que por e-mail me deixou seu link...
Cobra coral vestida em cobra-verde!

Cortaram árvores, estrada a fora,
Para atender a interesses... Quais?
Sem replantio, sobram nossos ais...
Foram-se as árvores e o povo chora!

Na via Dutra, no retão Resende,
(Memória é coisa que jamais se vende)
Havia um túnel feito de arvoredo!...

Hoje há secura, onde havia sombra...
E isso se alastra, é decisão que assombra!
Secretaria já nos causa medo!...